Segurança do paciente

A gestão de riscos no Hospital Pio XII possui um sistema de identificação, análise e tratamento de incidentes que tenham impacto institucional, para o paciente, para a equipe de trabalho ou terceiros. É um processo contínuo, sistêmico e dinâmico, onde toda a equipe é incentivada e envolvida na segurança do paciente.

Desenvolvemos nossas ações de segurança baseados nas Metas Internacionais de Segurança do Paciente, sendo:

  • 1. Identificar corretamente o paciente;

    O Hospital Pio XII desenvolveu o seu Protocolo de Identificação baseado nas recomendações do Manual de Segurança do Paciente da ANVISA. Para a identificação segura dos pacientes foram adotados dois descritores, o nome completo do paciente (sem abreviaturas) e sua data de nascimento.

    Todos os pacientes internados na instituição devem permanecer identificados com pulseira na cor branca, contendo os dois descritores. Além da pulseira, o hospital adota outros mecanismos para garantir a identificação correta do indivíduo ao qual se destina o serviço (medicamentos, hemoderivados, exames, cirurgias e tratamentos).

    O processo de identificação é monitorado por meio de auditoria clínica, que tem o objetivo de acompanhar a adesão ao Protocolo de Identificação do Paciente. São analisados: o preenchimento da placa de identificação do leito, pulseira de identificação, prontuário e eventos adversos relacionados à identificação do paciente.

  • 2. Melhorar a comunicação entre profissionais de saúde;

    A comunicação é um recurso estratégico para organização do cuidado permitindo a continuidade da assistência e o alcance de resultados relacionados a terapia proposta aos mesmos. Por isso ela deve ser efetiva nas trocas de plantão, nas transferências do paciente, nas situações de emergências e em todos os registros em prontuário.

    O nosso processo de comunicação possui um momento de integração entre os profissionais das diferentes equipes, onde são discutidas ações assistenciais e operacionais visando melhorias do cuidado do paciente. Essa é uma ação importante para garantir o conhecimento das informações por parte dos profissionais envolvidos na assistência.

    Todas as informações pertinentes ao paciente são registradas em seu prontuário e contém o tratamento realizado, desde a admissão até a alta. O acesso a este documento é um dos direitos do paciente.

  • 3. Melhorar a segurança na prescrição, no uso e na administração de medicamentos;

    O programa de segurança no uso de medicamentos do Hospital Pio XII envolve o conceito dos nove certos:

    • 1. Paciente certo;
    • 2. Medicamento certo;
    • 3. Via certa;
    • 4. Hora certa;
    • 5. Dose certa;
    • 6. Documentação certa (Registro certo);
    • 7. Orientação correta;
    • 8. Forma certa;
    • 9. Resposta certa;

    Os nove certos não garantem que os erros de administração não aconteçam, mas segui-los pode prevenir parte desses eventos, melhorando a segurança e a qualidade da assistência prestada ao paciente durante o processo de administração de medicamentos.

  • 4. Realização de cirurgia segura, em sítio cirúrgico, procedimento e paciente corretos;

    O processo de cirurgia segura envolve medidas para mitigação de riscos de incidentes que podem acontecer antes, durante e depois dos procedimentos. O processo cirúrgico é complexo e envolve várias etapas que incluem o agendamento, o preparo do paciente, disponibilidade de sala cirúrgica, materiais e equipamentos.

    O Hospital Pio XII utiliza o check list de cirurgia segura para verificação dos dados pertinentes ao paciente e ao procedimento. O objetivo é garantir que os procedimentos sejam realizados com segurança e conforme o planejado, atendendo os seguintes requisitos:

    • 1. Paciente correto;
    • 2. Procedimento correto;
    • 3. Lateralidade correta;
    • 4. Posicionamento adequado;
    • 5. Equipamentos disponíveis;
  • 5. Higienizar as mãos para evitar infecção;

    As mãos dos profissionais de saúde são os principais veículos de contaminação dentro do ambiente hospitalar. A prática da higienização das mãos reduz significativamente a transmissão de microrganismos e consequentemente a incidência de infecções preveníveis.

    É reconhecida mundialmente como uma medida primária mas essencial no controle de infecção relacionada à assistência à saúde. O Hospital Pio XII realiza anualmente a campanha de higienização das mãos com objetivo de conscientizar os profissionais sobre a importância do procedimento e os momentos corretos para higienização.

  • 6. Avaliar os pacientes em risco de queda e lesão por pressão, estabelecendo ações preventivas.

    No Hospital Pio XII os pacientes são avaliados diariamente quantos aos riscos assistenciais, dentre eles, os riscos para queda e lesões de pele. Esta avaliação direciona a assistência prestada de acordo com o grau de risco. Nós temos a preocupação com a segurança do paciente, zelando pela sua integridade desde a admissão até a alta.

    Os Protocolos de Queda e de Lesão por pressão são monitorados por meio de auditoria clínica, que tem o objetivo de acompanhar a adesão às recomendações.

    São analisados no Protocolo de Queda: avaliação de risco na admissão e diária, paciente e acompanhantes cientes do risco, evidências de prevenção de quedas (grades elevadas no POI, campainha acessível, dentre outros).

    São analisados no Protocolo de Lesão por Pressão: avaliação de risco na admissão e diária, paciente e acompanhantes cientes do risco e evidências de prevenção de lesão (mudança de decúbito X relógio, hidratação da pele, acompanhamento nutricional, dentre outros).