• Home
  • /
  • Sua Saúde
  • /
  • Colesterol Alto: Conheça os Sintomas, Causas e Tratamentos

Colesterol Alto: Conheça os Sintomas, Causas e Tratamentos

Veja na matéria dessa semana sobre os cuidados que se deve ter com o Colesterol Alto!

O que é Colesterol Alto?

O colesterol é um tipo de gordura no sangue. Se você tem colesterol demais, ele começa a acumular-se em suas artérias. As artérias, são os vasos sanguíneos que levam sangue para longe do coração. Este processo é chamado de endurecimento das artérias ou aterosclerose. Geralmente é um processo lento que piora à medida que você envelhece. O acúmulo de colesterol estreita suas artérias e torna mais difícil para o sangue fluir através deles. Isto reduz a quantidade de sangue que chega aos tecidos do seu corpo, incluindo o seu coração, podendo levar a sérios problemas, incluindo ataque cardíaco e derrame.
Seu colesterol é medido por um exame de sangue:
  • Colesterol alto é 240 ou acima;
  • Limite é de 200 a 239;
  • Melhor é menos de 200.

Quais são os diferentes tipos de colesterol?

  • LDL é o colesterol “ruim”, o tipo que pode obstruir suas artérias se você tiver muito dele. Este é o colesterol que você precisa diminuir, se você tem colesterol alto;
  • HDL é o colesterol “bom”. HDL ajuda a eliminar a gordura do sangue. Você quer que seu HDL seja alto. Um alto nível de HDL está ligado a um menor risco de doença cardíaca;
  • Os triglicerídeos são outro tipo de gordura no sangue. Se você tem triglicérides elevados e LDL alto, suas chances de ter um ataque cardíaco são maiores.

Algumas das causas de colesterol alto incluem os alimentos que você come, o excesso de peso, a inatividade física, o histórico familiar e a saúde geral, por exemplo.

O Colesterol Alto é perigoso? Conheça os fatores de risco:

O colesterol alto é apenas um dos vários fatores de risco para a doença cardíaca coronária. Um profissional de saúde considerará o risco geral de uma pessoa ao avaliar seus níveis de colesterol e discutir opções de tratamento. Os fatores de risco são condições que aumentam o risco de uma pessoa desenvolver doenças cardíacas. Alguns fatores de risco podem ser alterados e outros não. Em geral, quanto mais fatores de risco uma pessoa tem, maior a chance de desenvolver doença coronariana. Alguns fatores de risco podem ser controlados. No entanto, alguns não podem ser controlados.

Os fatores de risco que não podem ser controlados incluem:

  • Idade (45 anos ou mais para homens, 55 anos ou mais para mulheres);
  • Antecedentes familiares de doença cardíaca precoce (pai ou irmão afetado antes dos 55 anos de idade, mãe ou irmã afetada antes dos 65 anos de idade).

Os fatores de risco que podem ser controlados incluem:

  • Colesterol alto no sangue (colesterol total alto e colesterol LDL alto);
  • Baixo HDL (bom) colesterol;
  • Parar de fumar;
  • Pressão alta Diabetes Obesidade / excesso de peso;
  • Inatividade física.

Como o Colesterol Alto pode ser prevenido?

A adoção de um estilo de vida mais saudável, incluindo exercícios aeróbios e dieta com baixo teor de gordura, deve reduzir o risco de obesidade, colesterol alto e, em última instância, o risco de doença coronariana. Defina metas dietéticas com base nas diretrizes do Programa Nacional de Educação sobre o Colesterol. Esforce-se para a ingestão diária de menos de 7% de suas calorias de gordura saturada e menos de 200 mg de colesterol dos alimentos que você come. Você pode comer até 30% de suas calorias da gordura total, mas a maioria deve ser de gordura insaturada, que não aumenta os níveis de colesterol. Adicione mais fibra solúvel (encontrada em grãos de cereais, feijões, ervilhas, e muitas frutas e legumes). A melhor maneira de saber o que está nos alimentos que você come é ler o rótulo nutricional. Leia rótulos de alimentos e compre alimentos com baixo teor de gordura saturada e baixo teor de colesterol. Trabalhe com seu profissional de saúde para determinar se a medicação é necessária para controlar o colesterol alto. O controle do colesterol é útil na redução do risco de ataque cardíaco, acidente vascular cerebral e doença arterial periférica. É uma parte da estratégia de redução de riscos que inclui a cessação do tabagismo , controle de peso, controle da pressão arterial, e exercício.

 

 

Gostou do post? Tem alguma sugestão para a próxima matéria? Deixe seu comentário!

Fonte: <http://www.opas.org.br> Acesso em 28/04/2017 às 10:00.

Deixe uma resposta